Arquivo | fevereiro, 2010

Permanecendo, perseverando…

17 fev

É, estou de volta ao CTMDT…

Ao chegar no Campus, a atmosfera era claramente diferente, e a sensação é como se os novos alunos estivessem invadindo nossa tão privada casa. Aos poucos, tenho a certeza de que irei me readaptar… Fui otimamente recebida, com muitos abraços e gritos de alegria. É ótimo reecontrar os amigos, não é? Também é estranho deixar os amigos que não podem nos acompanhar… Aliás, já estou com saudades dos mais próximos: Line, Girou, Dai, Diogo, Gabi…

Bem, tivemos algumas aulas nessa semana antes do Carnaval e em uma delas, o professor Renato Marinoni surgiu com uma pergunta feita a ele pelo ministro Adhemar de Campos: É mais fácil fazer história ou dar continuidade a ela?

Essa pergunta martelou em minha cabeça por alguns dias e é bem claro que dar continuidade é algo muito mais difícil do que a paixão que nos leva a iniciar um projeto. Muito mais fácil inventar, criar, dar início, do que manter. Assim também é nossa vida com Deus. Quando convidamos Jesus a participar de nossas vidas (e se você nunca o fez, pergunte-me como),  nos apaixonamos por Ele, possuímos uma alegria inexplicável, não queremos estar longe da Sua presença, o que dói nele, dói em nós. Mas o “dar continuidade ” é que nos proporciona maturidade.  Veja um casal recém-casado. A paixão que eles possuem ao se casar é uma benção, mas é pelas tempestades do tempo que se tornarão companheiros, confidentes, maduros. Os minutos que você tira por dia para conversar com o Senhor é que fazem a diferença. Ninguém consegue fingir intimidade por muito tempo, cuidado. Escolha  investir na sua eternidade.
Certa vez, perguntei ao meu pai se o casamento deles era melhor quando se casaram. Ele então afirmou com toda ênfase que estava vivendo o melhor tempo de sua vida com a minha mãe, após 18 anos de casados. Que ao olhar para a minha mãe pela manhã, enxergava em seus olhos não somente uma esposa, mas parte de si mesmo. Note, os dois já passaram daquela fase paixão-avassaladora e com os conflitos e dificuldades puderam amadurecer esse amor. Achei muito interessante esse texto de Fred Jarvis:

“Deus quer nos erguer a um novo nível e uma nova dimensão espiritual. Ele quer nos dar poder para nos conquistar a nós mesmos, lidar com nossos conflitos, lidar com nosso desespero, batalhar contra nossos temores, e vencer sobre a preocupação. Somente então é que teremos supremacia sobre nossos problemas, e poderemos viver uma vida útil, amorosa, e vitoriosa. Deus quer que sejamos ensinados pela sua Palavra, e guiados pelo seu Espírito. Somente aqueles que foram conquistados por ele conhecerão o sabor da verdadeira conquista. Não precisamos ser cristãos duros, estéreis, mofados, e derrotados.”

É a mais pura verdade. Cada dificuldade que possuímos em nossa vida é uma chance de nos aproximarmos mais de Deus ou não. De nos tornarmos mais maduros ou não. A palavra que meditei nesses dias que gostaria de compartilhar com vocês é essa:

Salmo 84

4  Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente.
5 Felizes são aqueles que de ti recebem forças, em cujo coração estão os caminhos aplanados.
6 Que, passando pelo vale das Lágrimas, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques.
7 Enquanto vão indo, a força deles vai aumentando; cada um deles em Sião aparece perante Deus.

Esse tem sido meu maior desafio nesses dias. Enquanto caminho, o Senhor está comigo. No versículo diz que a medida que caminham, possuem forças, e não que Deus te dará uma força sobrenatural  referente a 10 anos de caminhada. Creio que Deus não nos concede essa super-força porque nos tornaríamos mais independentes do que já somos. Então ele nos ensina que a cada passo, o temos como nossa força. Nos ensina a dependermos Dele. “Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra” (Sl. 119:105) e não lâmpada acima da minha cabeça, não lâmpada que ilumina a quilômetros de distância. É preciso viver um dia de cada vez. Tecnicamente, nada mais me é novidade no CTM. E em algumas situações, confesso que precisarei de muita sabedoria – em por exemplo, morar em um quarto de aproximadamente 5x3m com mais 4 meninas. Quando a paixão passa, é muito perigoso que a murmuração bata em nossa porta. Estamos muito suscetíveis a desistir, pegar nossos pertences e ir em busca de outra aventura. Se você se acha nessa situação de jogar a toalha, não faça isso, querido (a). Persevere! Continue! Se Deus não te mandou para outra direção, não vá! Nessas horas de caos, o Papai está com as mãos estendidas dizendo “Aguente mais um pouco, estou com você”. É, eu ouvi isso Dele esses dias e espero que através desse post você também possa.

Que o seu amor amadureça em Deus esse ano! Com carinho,

Dani

Anúncios